Centrais e CNI debatem pacto produtivo durante seminário em Brasília

11/7/2019 - quinta-feira

Seminário em Brasília reuniu, quinta (11), lideranças da CUT, Força Sindical, CTB, Nova Central, CSB e UGT e a CNI - Confederação Nacional da Indústria, em sua sede. Representantes do trabalho e do capital buscam definir uma agenda, de curto e médio prazos, capaz de reativar a economia e gerar empregos.

A Agência Sindical ouviu Alvaro Egea, secretário-geral da Central dos Sindicatos Brasileiros, presidida por Antonio Neto, que também participou do encontro. Segundo Álvaro, “setores do empresariado já nem querem mais tratar com o governo, por não ver uma política econômica consistente”. E completa: “Ouvi de um dirigente da CNI que esse ultraliberalismo foi o que afundou a Argentina, produzindo quase um milhão e meio de miseráveis”.


Dirigentes das Centrais durante encontro na CNI

A ideia é realizar novo Seminário, em Brasília, dentro de semanas, e depois levar aos líderes do Congresso, Rodrigo Maia (Câmara) e David Alcolumbre (Senado), propostas para reaquecimento da economia. “Também estamos formando grupos de trabalho por tema. Por exemplo, qualificação profissional”, adianta Egea.

Presentes - Pela Força Sindical, participaram do Seminário nesta quinta o presidente Miguel Torres; o 1º secretário, Sérgio Leite; os vices Eunice Cabral; e Antonio de Sousa Ramalho, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e secretário nacional de Formação da Força, José Pereira dos Santos, mais o presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP, Eliseu Costa.


Sindicalistas da Força representam a Central em reunião

MAIS - A Agência continuará a repercutir as ações conjuntas sindicalismo-CNI.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home