• 1º/7/2019 - Assim é que se trabalha bem

• 1º/7/2019 - segunda-feira


João Guilherme Vargas Netto
é consultor sindical e membro do Diap
(Departamento Intersindical
de Assessoria Parlamentar).
E-mail:
joguvane@uol.com.br

As Centrais Sindicais reuniram-se em São Paulo dia 28 de junho para balancear o resultado de suas iniciativas e da luta dos trabalhadores. Em particular os esforços feitos no Congresso Nacional para aplicar as duas táticas intuitivas contra a pretendida deforma previdenciária de Guedes e Cia. e determinar a continuidade da luta durante as férias escolares e os recessos judiciário e parlamentar.

Assistiram à reunião representações estudantis e dos movimentos populares, que elogiaram o espírito unitário prático que a caracterizou.

A solidariedade aos metroviários e seu Sindicato, agredidos pela administração estadual de São Paulo com atos antissindicais evidentes e com demissões, foi unanimemente endossada.

Determinou-se a intensificação da coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a deforma, cuja entrega às Centrais já começou a ser feita e tem sua data-limite de entrega fixada em 4 de agosto, para encaminhamento ao Congresso Nacional no dia 13 de agosto.

Houve um forte entrosamento com a luta estudantil, do professorado e dos camponeses, determinando-se o apoio ao congresso da UNE, à mobilização da CNTE e à Marcha das Margaridas.

No dia 12 de julho, data de uma forte manifestação em defesa da Educação, as Centrais determinaram a realização em todas as cidades e por todas as categorias de atos de mobilização, esclarecimento e protesto d@s trabalhador@s contra a deforma previdenciária, com a coleta maciça de assinaturas dos abaixo-assinados.

Em São Paulo, no próximo dia 7 de julho (domingo), acontece a comemoração do Dia da Luta Operária com homenagem do vereador Antônio Donato (PT), das Centrais Sindicais e de instituições da memória sindical e de pesquisa dos movimentos sociais a Eunice Longo (tecelã) e Raphael Martinelli (ferroviário), que recebem este ano o troféu José Martinez (operário assassinado durante a greve geral de 1917) pelo histórico de suas lutas em defesa do movimento operário brasileiro.

O ato será no antigo Moinho Matarazzo (Rua do Bucolismo, 81, Brás, região Central) às 9 horas. Nos veremos lá.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home