• 24/6/2019 - Noite feliz no Sindicato

• 24/6/2019 - segunda-feira


João Franzin
é jornalista
e diretor da Agência
de Comunicação Sindical.
E-mail:
franzin@agenciasindical.com.br

Dia 19 de junho, participei no Sindicato dos Hoteleiros de São Paulo (Sinthoresp) de um evento feliz. Naquela noite, 380 alunos se formavam na Escola de Hotelaria do Sindicato, em mais de 15 cursos, gratuitos.

Havia uma real alegria nos semblantes dos formandos e de seus familiares, pela certeza de que os alunos galgavam mais um degrau profissional. Muitos já se encontravam empregados e outros anunciavam, ali mesmo, haver conseguido vaga graças à formação obtida.

Também chamou atenção o carinho dedicado aos professores pelos alunos. A Escola dispõe de um quadro muito qualificado de professores, em regra, com longa trajetória profissional. Mas o que vi ali era mais: era respeito ao mestre, àquele que ensina com amor e rigor. Caso do sr. Fritz, que, aos 89 anos, leciona Português para migrantes.

Jornalista, bicho curioso, circulei pelo salão repleto e testemunhei conversas e comentários alvissareiros. Fiquei surpreso com a leitura formal do Juramento, a cargo de um dos formandos. Achei o texto oportuno e objetivo, o que me fez combinar com o pessoal da Comunicação publicá-lo no site do Sindicato.

Fui menino de roça que caminhava quilômetros pra chegar na escola da cidade. Em quatro anos, faltei meio dia, por questão familiar. Fui sócio da biblioteca municipal desde cedo, e ia de bicicleta buscar ou devolver os volumes. Adquiri apreço pelos livros e, mais que isso, pelo conhecimento.

Também nesse tempo aprendi a valorizar os professores, à época muito mais respeitados pela coletividade. Tive mestres abnegados, que se dispunham a dar aula de reforço em suas próprias casas nas manhãs de sábado.

Nos preparativos da solenidade de formatura, produzimos na Agência Sindical faixa alusiva ao evento. Pedi fosse escrita a frase “A educação é a base do progresso”, que agora fica registrada por fotos e vídeos para as gerações. O apego à Educação foi uma das razões que me fizeram ser brizolista, estadista e apóstolo dessa causa, além de maior construtor de escolas do mundo.

Vivemos época de grandes dificuldades no mundo sindical, ante ataques duros do capital e de seus agentes no poder político. Portanto, uma noite de formatura de trabalhadores, com gente de variadas origens e ocupações, deve ser saudada como grande feito. Do Sinthoresp e da boa tradição sindical.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home