Paralisação deixa a capital paulista vazia e protestos chegam ao litoral e interior

• 14/6/2019 - sexta-feira

A cidade de São Paulo amanheceu nessa sexta (14) com várias estações de metrô fechadas, circulação de ônibus reduzida, bloqueios na avenida 23 de maio, no elevado João Goulart, na USP e Sapopemba, entre outros pontos.


Estudantes protestam em frente à USP

Protestos - Balanço das Centrais sindicais estima que houve protestos em mais de 300 cidades do País, com 45 milhões de trabalhadores participando das mobilizações.

Capital - Em São Paulo, aconteceram atos pela manhã e, à tarde, uma grande manifestação está marcada para a avenida Paulista, a partir das 18 horas.

Cidades - Principais cidades do Litoral e Interior tiveram atos e manifestações. Em São José dos Campos, houve paralisação total dos ônibus até as 9 horas.

Em Taboão da Serra, manifestantes bloquearam a BR-116 (Régis Bittencourt), rodovia que liga a capital a Embu das Artes, Cotia e Itapecerica da Serra.

Metalúrgicos do ABC pararam 98% das fábricas. Em Lins, houve ato em frente à Superintendência da Sabesp, que aderiu à Greve.

Sorocaba teve paralisação dos ônibus e mais de 70 escolas encerraram as atividades em Bauru.

Campinas registrou protestos e barricadas nas rodovias Anhanguera, Santos Dumont e Zeferino. Concentração ocorreu no Largo do Rosário nesta sexta.

Santos - Manifestantes barricaram os acessos à cidade de Santos e caminharam em seguida pela região do porto.


Alunos e professores realizaram protestos nesta sexta, 14


Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home