Metalúrgicos do ABC apoiam a Greve Geral

13/6/2019 - quinta-feira

Os metalúrgicos de São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra aguardam forte adesão à Greve Geral que acontece nesta sexta.

Para o presidente do Sindicato, Wagner Santana “Nossa categoria está muito mobilizada para realizar uma das maiores greves que este País já viu. Os metalúrgicos sabem o que é a Reforma da Previdência, a proposta que na verdade representa o fim da aposentadoria depois de uma vida inteira de trabalho”, destaca o dirigente.

Atividades - Desde que as Centrais definiram a data da Greve Geral, os Metalúrgicos do ABC intensificaram as atividades para esclarecer e mobilizar os trabalhadores contra a Reforma. Foram realizadas oficinas com técnicos do Dieese, para tirar dúvidas da categoria. “É direito do trabalhador saber o que o governo está propondo, entender como essas mudanças mexem com sua vida, seus planos, com o sustento de suas famílias”, ressalta o dirigente.

Assembleias - Na quinta (13) o Sindicato esteve na Mercedes-Benz e na Scania, em São Bernardo, e na Apis Delta e Isringhausen, em Diadema. Segundo o secretário-geral, Aroaldo Oliveira da Silva, a orientação é que dia 14 os trabalhadores da base não saiam de casa. “Não faremos atos de rua aqui no ABC. Orientamos o trabalhador a não ir à fábrica. E convidamos quem puder a participar, à tarde, do ato em São Paulo”, explica.


Paralisação - O secretário-geral reforça que é grande a expectativa, não só na categoria metalúrgica, mas também em outros setores no ABC. “Esperamos uma adesão forte. Os sindicatos de diversas categorias se emprenharam bastante. Atuamos também para além da nossa categoria, fizemos panfletagem nas ruas, esclarecemos e mobilizamos a população. Sexta todos vão parar”, avalia Aroaldo.

Na Mercedes, as assembleias ocorreram nas entradas dos turnos. O diretor administrativo do Sindicato, Moisés Selerges, que conduziu a atividade, lembrou aos trabalhadores que a luta não é só pela geração atual, mas pelo futuro de filhos e netos. “Em um cenário de carteira verde e amarela, de discursos de ‘ou emprego ou direitos’, essa Greve é o aviso de que não vamos aceitar ataques contra a classe trabalhadora”, afirmou.


 

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home