Miguel Torres fará na OIT balanço da Greve e relato dos ataques a direitos

• 12/6/2019 - quarta-feira

Principal liderança da Força Sindical e da categoria metalúrgica forcista, Miguel Torres será o orador oficial do sindicalismo brasileiro na 108ª Conferência da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que já acontece em Genebra, Suíça. O documento já está finalizado e tem que ser sucinto, pois a intervenção no evento é de poucos minutos.


Miguel Torres durante entrevista ao jornalista João Franzin

Miguel falou com exclusividade à Agência Sindical. Ele adianta que as linhas mestras de sua fala já estão definidas. “Farei um relato breve da Greve Geral, comentarei a inclusão do Brasil na lista suja dos países que desrespeitem direitos e a organização sindical e vou chamar atenção para o fato de que o governo vem passando por cima do tripartismo, que é um dos pilares da OIT”.

A Agência Sindical, como em outras ocasiões, divulgará a Carta do sindicalismo brasileiro.

Greve - O sindicalista embarca para Genebra um dia depois da greve. Ele tem ido às fábricas diariamente e mostra otimismo quanto à paralisação. “Sinto que cresce entre os trabalhadores e a população a consciência de que a reforma da Previdência agride direitos e prejudica os mais pobres”, afirma.

Para Miguel Torres, esse avanço é gradativo. Ele explica: “O governo tem forte influência na grande mídia, que vende a falsa ideia de que a reforma combaterá privilégios, o que não é verdade. Enfrentamos um poder muito forte”.

Unidade - Para o porta-voz do sindicalismo brasileiro em Genebra, a Conferência é oportunidade do sindicalismo mundial fortalecer sua unidade. “Os ataques contra os trabalhadores ocorrem em quase todo o mundo. Precisamos nos unir e reagir às maldades que o liberalismo joga nas costas da classe trabalhadora”.

Mais informações: www.fsindical.org.br
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home