Padeiros do ABC rechaçam intransigência patronal e entram em greve dia 14

• 11/6/2019 - terça-feira

Em assembleia realizada na segunda (10), os Padeiros do ABC decidiram pela greve, em defesa dos direitos, pelo aumento dos salários e a manutenção e defesa da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Desde março, quando foi encaminhada a pauta de reivindicações dos trabalhadores ao patronal, que o Sindicato dos Padeiros de São Paulo vem tentando negociar com os representantes das empresas, sem obter qualquer avanço.

Direitos – Após negociações com o patronal, continua o impasse. Segundo Chiquinho Pereira, presidente do Sindicato dos Padeiros de São Paulo, a intransigência dos patrões levou a essa decisão drástica.

“Eles querem retirar a data-base, reajustar os salários em 70% sobre o índice da inflação e tirar várias cláusulas da CCT”, explica Chiquinho.


Padeiros do ABC decidem, em assembleia, pela greve a partir de 14 de junho

O dirigente ressalta a vontade de negociar do Sindicato. “Nós esgotamos todas as possibilidades de negociação. Estamos sempre abertos ao diálogo. Mas, os empresários se recusam a conversar”, afirma.

Para Chiquinho Pereira, “a reforma trabalhista quer acabar com esses direitos e o aumento dos salários. O patronato, a partir da nova lei, acha que agora pode tudo. Quer somente lucro e não se preocupa com o bem-estar da categoria. Diante disso a única saída é a greve” afirma.

A base do Sindicato no ABC tem cerca de 15 mil trabalhadores, distribuídos por 1.500 padarias.

Mais informações: www.padeiros.org.br
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home