Metalúrgicos visitam fábricas e organizam greve e protestos no dia 14

• 10/6/2019 - segunda-feira

O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Miguel Torres, deu a largada nas ações desta semana a fim e mobilizar a paralisação sexta, dia 14.

Às 5h20, o dirigente estava na empresa Valeo, em São Paulo, onde conversou com os trabalhadores e convocou para a paralisação. “Essa semana é decisiva para derrotarmos a reforma da Previdência que retira direitos e mantém privilégios. Vamos mobilizar e informar a população, porque a reforma da Previdência é ruim para o trabalhador e para o futuro do País. Só a luta faz a lei”.


Miguel Torres comanda assembleia com trabalhadores da Valeo

ABC - Entre 15 e 20 empresas paulistas já realizaram suas assembleias e decidiram pela adesão ao movimento. Mesmo com o desemprego em alta no País, a adesão à greve entre os metalúrgicos cresce. "A falta de uma política industrial para o setor automotivo e de incentivo ao conteúdo local aumentam a insatisfação", diz o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Aroaldo Oliveira da Silva.