• 15/3/2019 - Persistir (agora) no acerto

• 15/3/2019 - sexta-feira


João Guilherme Vargas Netto
é consultor sindical e membro do Diap
(Departamento Intersindical
de Assessoria Parlamentar).
E-mail:
joguvane@uol.com.br

Escrevo com a pressa de quem tem uma exígua semana para garantir o sucesso da jornada do dia 22 de março.

Estas manifestações, de esclarecimento, de protesto e de repúdio à PEC previdenciária, foram convocadas unitariamente pelas Centrais Sindicais e precisam dar uma demonstração contundente da relevância do movimento sindical.

O sucesso da jornada do dia 22 de março reforçará também no âmbito do Congresso Nacional todas as iniciativas de resistência dos deputados que nos são favoráveis e validará nossas articulações e propostas.

O contrário é verdadeiro: a fraqueza eventualmente revelada no dia 22 derrubará nossas pretensões e dificultará o encaminhamento favorável de nossas articulações.

Nenhuma ilusão deve pairar sobre estas duas verdades.

Enquanto se trava no Congresso esta complexa luta em várias frentes, que exigirão discernimento e cooperação entre parlamentares e entidades sindicais responsáveis, a vida não espera.

O acossamento dos Sindicatos pela aplicação imediata da MP 873 começa a ser enfrentado juridicamente com ações vitoriosas, com a poderosa ADIN da OAB e também com iniciativas que contestam – frente ao patronato açulado pela Fiesp – a retroatividade da MP em relação aos acordos e Convenções já assinados ano passado e que devem continuar produzindo os resultados negociados.

Todas as informações de que disponho sobre as panfletagens de agitação para a jornada do dia 22 confirmam uma grande aceitação pelos trabalhadores (principalmente pelas trabalhadoras) na exata medida do acerto de seu objetivo prioritário e quase exclusivo: a derrota da PEC previdenciária e a eliminação do artigo nela que possibilita a desconstitucionalização futura de novas alterações.

O sucesso da jornada do dia 22 encerrará também um ciclo de manifestações como as que realizamos desde a Conclat do Pacaembu; as dificuldades orgânicas do movimento sindical e a complexidade da luta atual nos forçarão a adotar outras formas de luta mais econômicas, mais agressivas e mais eficientes.

Persistir para o sucesso do dia 22 é persistir (agora) no acerto.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home