Professores da rede particular definem agenda de mobilização para março

1º/3/2019 - sexta-feira

Professores da rede particular de ensino não descartam entrar em greve até o fim de março. O Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP) fará reuniões, neste mês, para debater a Campanha Salarial 2019, além de terceirizações.

Na última quinta (28), professores da Educação Básica foram à sede do Sinpro-SP, na Vila Clementino  (zona sul de São Paulo), participar de assembleia, em que foi aprovado reivindicar a manutenção da Convenção Coletiva vigente na categoria até 2021.

Os educadores estão preocupados com as ameaças trazidas pela reforma Trabalhista, além das estratégias usadas por algumas escolas para burlar a legislação, como a terceirização e a "pejotização". "Chega de aceitarmos contratos com outra nomenclatura que não seja de professor", diz trecho de nota do Sinpro-SP.


Educadores durante assembleia realizada quinta (28) Foto: Divulgação Sinpro-SP


Nos dias 12 e 19, os dirigentes do Sindicato se reúnem com o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieeesp) em novas rodadas de negociação. Paralelamente, devem intensificar a mobilização dos educadores e dialogar com donos de escola.  

Os professores também realizarão dois atos (veja abaixo) e uma assembleia, na qual a categoria pode decidir pela greve.

Reivindicações - A assembleia da quinta decidiu priorizar, nas próximas rodadas com os patrões, quatro reivindicações da pauta entregue ao Sieeesp ainda em novembro de 2018.

São elas:

1 - assinatura da Convenção Coletiva por dois anos;
2 - garantia de manutenção de todas as cláusulas, até a assinatura de nova Convenção Coletiva;
3 - blindagem contra a reforma trabalhista, com a proibição de contratação terceirizada ou por PJ;
4 - aumento da hora-atividade de 5% para 15%.

Agenda de mobilização:

- 21 de março (quinta), às 13 horas – Manifestação e panfletagem no sindicato patronal (rua Benedito Fernandes, 107, Santo Amaro), onde acontecerá a assembleia dos donos de escolas;
- 22 de março (sexta) – participação no Dia Nacional de Luta contra a reforma da Previdência;
- 23 de março, sábado, 10 horas – assembleia das professoras e professores, no Sinpro-SP. Na data, a categoria irá analisar eventual nova contraproposta patronal e deliberar sobre a possibilidade de paralisação (indicativo) em 28 de março.

Serviço - Cadastre no seu celular o Whatsapp do Sinpro-SP  (11) 95278.1230 e receba notícias e materiais sobre as atividades e a agenda de mobilização.


Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home