Cadastre-se em nossa lista:



“A notícia da décima queda consecutiva no PIB
e do aumento do número de desempregados -
12 milhões - mostra que o governo não está
tomando as medidas necessárias para
a economia reagir.”

Miguel Torres
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos
de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM


Enquete

O que acontecerá, se a Reforma da Previdência for aprovada?
  • Trabalhador vai contribuir mais e receber menos, quando aposentar
  • Será mais difícil se aposentar
  • Reforma vai retirar benefícios sociais
Parciais

OPINIÃO

Conversa com o governo

Acertou o governo ao convidar as seis Centrais reconhecidas para encontro em Brasília, a fim de discutir Previdência e outras reformas. A ida das Centrais mostra disposição para o diálogo.

No entanto, vale reafirmar, o governo apodrece em praça pública, vergado pela ilegitimidade, corrupção, recessão, desemprego e conflito entre Poderes.

Conversar é bom. Melhor ainda é, na conversa, reafirmar as posições unitárias resumidas no bordão: nenhum direito a menos!


5 de dezembro de 2016

Nossos trabalhos


Publicação do SINDCINE - Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal. Clique aqui e veja outros materiais.

Imagem da semana



O tal inimigo interno


As Polícias Militar e Legislativa agiram com desmedida violência em cima de manifestantes que tinham ido a Brasília protestar contra a PEC da Maldade e as reformas neoliberais. A democracia, se real, não deveria tratar protestos com o mesmo método utilizado na ditadura, quando vigorava a teoria do inimigo interno.


Vídeo da semana


Bira, da CGTB, fala da história de luta da Central

Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira), presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), aborda a história de luta da Central, que surgiu em 1986. Segundo Bira, o foco principal da entidade é a luta pela soberania e independência do Brasil. Ele também faz críticas à política neoliberal do governo federal e às taxas de juros exorbitantes.

Login - Clientes

Lembrar senha